29 abril 2022

Livro: Se não eu, quem vai fazer você feliz?

        Eu não costumo falar de livros aqui no blog, tanto que se já falei mais de uma vez foi muito. Meu hábito com a leitura foi ralo a baixo há anos. Mas quando é algo do meu interesse, eu paro tudo. Li em uma noite as 172 páginas do livro escrito pela Grazi Gonçalves, ex-mulher do eterno Chorão, ou como ela mesmo chama, Alê. O livro Se não eu, quem vai fazer você feliz? é uma referência a música Proibida pra mim, escrita pelo Chorão para a Grazi, ou Grazon - como ele gostava de se referir - a sua grande musa inspiradora. E é sobre esse livro que é o post de hoje.




      Faz anos que eu queria ter lido, mas procrastinei a sua compra. Tanto que acabei não comprando e peguei um PDF dele ontem a noite diante de uma vontade repentina de saber mais sobre essa história. Sou fã de CBJR desde 2011, então é uma banda que chegou a fazer parte de muitas gerações. Há alguns anos atrás, assisti o esse vídeo da Grazi que mexeu muito comigo e me despertou a vontade da leitura.



      No livro ela conta do seu papel que além de musa inspiradora, foi um grande alicerce do Chorão e consequentemente da banda. Inicia a narrativa contando dos encontros de olhares deles, da má reputação do Chorão, que era taxado como um cara marrento e encrenqueiro. Porém, no fundo era um poço de sentimentos, carinhoso e demonstrava afeto de todas as maneiras possíveis pelas pessoas que amava. Como nem tudo são flores, esses sentimentos também carregava muita insegurança, algo que ela enfatizou muito no livro. Isso implicava no ciúmes irracional que ele sentia da Grazi, além da necessidade constante de uma validação externa. Essa insegurança o trouxe vários malefícios como podemos imaginar, mas também não o deixava parado e sempre estava na busca de evoluir e crescer com a banda.



       Não consigo entender como essa mulher teve forças para cuidar de tudo, ela teve um papel fundamental para o crescimento da banda. De secretária, até papel de RP, acompanhar shows, viagens, segurar as barras mais pesadas. Muito daquilo jamais teria acontecido se não fosse o apoio dela.

        O início do relacionamento foi muito difícil: problemas financeiros, cursar uma faculdade, trabalhar em mais de dois empregos e ainda tentar ajudar no sonho do namorado. Ela esteve lá por ele e ele por ela. Gostei que ela contou tudo desde o início, das imperfeições e dos momentos únicos. O quão forte foi essa conexão e como foi uma relação real. Houve uma reflexão no impacto da sua abdicação de si para cuidar da banda, a dor do seu aborto espontâneo e desamparo nesse momento crucial, das crises de pânico desenvolvidas por conta da mídia e polêmicas com ex-integrantes. 

        Eles chegaram a se separar no início devido ao excesso de ciúmes e machismo do Chorão, não querendo que ela cursasse a sua faculdade de moda e fosse atrás dos seus sonhos, por medo de perdê-la para outra pessoa. Mas também fica claro o quão importante essa breve separação foi  para o crescimento do casal. Em pouco tempo o Chorão reconheceu seus erros e pediu desculpas, ao ver que aquilo era descabido e irracional, afinal, ela sempre esteve ao lado dele enquanto sonhara com a banda. Era o momento de compreensão e apoio da parte dele. E após uma separação da união estável, veio um casamento no civil e na igreja, uma linda lua de mel em Miami e finalmente o apartamento próprio em Santos. 



       Ela teve um carinho imenso ao contar a história da banda, do Alexandre Magno Abrão e abrir o seu íntimo para partilhar a sua vivência, linda e dolorosa, mas muito, muito real. Esses bastidores que a gente não vê, as letras das músicas contendo várias histórias. Em todos os CDs haviam músicas e trechos que ele fez sobre ela, inclusive uma que marcou a minha infância, Ela vai voltar - Todos os defeitos de uma mulher perfeita.

      Os três últimos capítulos foram os mais tristes. Ela narrou o vazio constante que o Chorão sentia, o abuso da cocaína que começou três anos antes de sua morte e a dificuldade dele com os outros integrantes da banda. Foi de doer em mim a sua experiência com um adicto, sentir ela tentando ajudar ao máximo e dando total apoio, como em toda a história. Inúmeras tentativas entre dois anos, ela foi forte e tentou! Mas infelizmente a gente só pode ajudar quem quer ser ajudado. Ela fez o melhor que pode e isso ficou explícito no livro. Infelizmente a gente não tem o controle da vida e o Chorão acabou se perdendo no mundo das drogas, se afastando dela, com algumas traições (pelo o que ela deixou a entender entrelinhas) e encerrando a sua vida no fatídico dia 06 de março de 2013. Um baque na vida da Grazi, na minha vida e na de muitos outros brasileiros e no mundo. Boa parte do último disco, La Família 013 narrou esses momentos. Inclusive em Um dia a gente se encontra, é sobre uma das promessas que ele fez a Grazi na praia que mudaria a vida, que se trataria e que seria diferente. Mas infelizmente ele recaía novamente. 



     Agora eu sinto que poderia ficar falando por horas e escrever 50 páginas do quanto esse livro foi importante para a minha vida. Entender que um amor não deixa de ser amor só porque foi encerrado. A gente ajuda até onde pode, mas as pessoas são responsáveis pelas suas escolhas. Eu passei muito por isso no rompimento do meu noivado, claro que foi totalmente diferente, sem drogas ou morte trágica. Mas eu sei da sensação de impotência diante de tentar ajudar alguém em questões emocionais que não quis ser ajudado. Essa leitura me trouxe uma visão realista de relacionamentos, aceitar os seus momentos bons e os ruins. A não ter raiva do que foi vivido e se reerguer, porque a vida continua.


__________________________________________________________________________________________


        Espero que tenham gostado dessa indicação. O livro não é caro, tem na Amazon e tem fácil acesso ao PDF na internet. Eu quero muito a versão física por conta da importância que ele teve para mim e vou reler novamente. Foi uma das leituras que me impactou no atual momento da minha vida. Vocês já leram ou conheciam? Comentem ♥. 

Beijos,
 

4 comentários:

  1. Não sabia que a Grazi escreveu um livro sobre o Chorão e o que eles viveram. É interessante ler sobre pessoas reais e conhecer fatos desconhecidos.
    Deve ser um livro muito bom. Ainda lembro do dia que soube o que aconteceu com o Chorão. Eu nem queria acreditar.
    Bjus!

    galerafashion.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Siim! Pra mim foi muito bom, e acredito que os fãs precisam ler ♥. E eu também não quis acreditar, chorei muito...foi doloroso. Tinha ainda pessoas que faziam piada com isso, algo tão sério que foi banalizado. Paciência...

      Excluir
  2. Adoraria ler mas nao encontrei o pdf, vc poderia por favor indicar o Link? Obrigada :☺️

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu procurei, porém eu também não achei agora o link de onde eu retirei :(. Se eu encontrar, deixo linkado sim.

      Excluir

♥ Comentem
♥ Caso não tenha uma conta no google, deixei a opção de comentar anonimamente
♥ Contato: carol_cruz1997@hotmail.com

© Mundo Perdido da Carol 2013 - 2018. Todos os direitos reservados.
Layout e codificação: GLEICY HANER - DESIGNS E FOTOGRAFIA .
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo